sábado, 24 de setembro de 2011

Santa inutilidade


Um ser humano que se sente inútil para a sociedade em torno dele normalmente entra num limbo existencial terrível. Mas, se tem uma coisa que todos nós gostamos muito de fazer, esta coisa se chama nada. Já dizia uma velha canção "♫nada melhor do que não fazer nada♫" e é verdade, nada como um lugar confortável, nada como uma atividade light pra dar uma relaxada, nada como uma sensação de isenção de deveres e compromissos, não é mesmo? Nada como os braços cruzados, a cabeça no espaço com os pés sobre uma nuvem macia, nada como não se envolver em coisas complicadas, nada como esquecer os problemas nossos e dos outros. Isto somos nós, e até chamamos estas coisas de bem-estar.

Outra coisa que gostamos de fazer na vida é criticar o que está errado, nisto somos mestres e muitas vezes ferrenhos, implacáveis. Hoje nós criticamos bastante a igreja, na grande maioria das vezes justamente; condenamos os desvios de caráter, o mal farisaísmo que existe, a falta de compromisso com os valores cristãos, com a santidade que o Senhor requer de cada um e assim vai. Em meio a tantos erros as falhas dos outros se tornam insuportáveis, e começamos a pensar que ninguém mais presta e o nosso fariseu (não o fariseu que Deus se agrada, mas aquele combatido por Jesus) mostra suas garras e então sentimos nojo de tudo que lembra igreja e damos ouvidos à uma voz interna (que imita a Dona Florinda) nos mandando não nos misturarmos com esta gentalha. É mais ou menos assim que funciona, é ou não é?

Tem muita gente que não renegou a fé em Cristo, mas está afastada da igreja por conta de erros graves cometidos pelos quais se esperavam um comportamento mais condizente com o evangelho. Se afastar de um lugar que não prega o verdadeiro evangelho (digo a bíblia toda e não só a parte que agrada aos homens em geral) não é o problema, mas o problema é que preferem acompanhar de longe. Muitos não congregam mais, outros nem se dizem cristãos mais, criticaram tanto este farisaísmo hipócrita que não se mistura com pecadores e acabaram agindo igual, se separaram do corpo por julgá-los gente "ruim". Se esqueceram que sempre vão existir 7.000 joelhos que não se dobram e que Paulo, sob influência do Espírito Santo, disse pra não deixar de congregar. Sempre tem lugar pra ir e pra ser útil neste lugar. Sabe que proveito tem um membro fora do corpo? Nenhum. Sabe que diferença vamos fazer pro Reino se não ficar claro para as pessoas que seguimos os ensinamentos de Jesus? Nenhuma, pois eles não vão adivinhar quem Jesus é se não falarmos. Não adianta nada nos acharem boas pessoas sem saberem que por trás de "nossa" bondade tem um Deus que nos transforma.

É muito cômodo ser um frequentador de igreja, é muito cômodo ser um anti-gospel, é muito cômodo usar a Graça como desculpa pra uma vida medíocre, sem se envolver com alguma coisa que exija esforço. É muito cômodo reconhecer nossas limitações, nossa incapacidade e não fazermos nada pra melhorar, pra aprender, pra sermos úteis. É muito cômodo nos acovardarmos quando sabemos que podemos fazer algo mais, por mais difícil que pareça ser. É muito cômodo nos omitirmos e passar a responsabilidade pra outros.

Jesus certa vez disse para que rogássemos ao Pai pra que Ele envie trabalhadores pra Sua ceara, Ele falou isto certamente porque sabe que ninguém quer trabalhar, se envolver; ninguém quer pagar o preço de ser útil. É mais fácil apenas observar, comentar, analisar e criticar, não fazer nada além disto; mas Jesus nos chamou com o propósito de sermos úteis para o seu Reino, foi para darmos fruto que Ele nos chamou. E para uma plantação dar fruto há todo um trabalho, é preciso plantar, regar diariamente, podar e colher. E apesar de não frutificarmos por conta própria (sem Jesus nada podemos fazer), somos co-responsáveis pelo nosso processo de crescimento espiritual e pelo benefício que podemos trazer aos outros.

Voltando ao início do texto, nos dói muito quando vemos que somos inúteis para produzir algo pra sociedade à nossa volta, mas quando mudamos o foco pro Reino de Deus não nos dói nada esta inutilidade. Alguns ao ver que estão ficando inúteis pra sociedade ainda tentam aprender algo, se esforçam pra ter alguma utilidade, mas quando é para o Reino a grande maioria de nós não faz nada. Todo cristão possui no mínimo um dom/habilidade concedido pelo Espírito, e normalmente a gente não busca sequer descobrir quais dons/habilidades Deus nos deu pra edificação do corpo de Cristo. Se não preocupamos nem em descobrir, quanto mais em buscar dons pra termos mais utilidade pro Reino! Não nos preocupamos com nada disto, afinal nossa vida secular já tem trabalho demais por fazer, temos que crescer profissionalmente e garantir um "futuro melhor", ou então temos que ter um bom tempo só nosso pra descansar. Existem muitos por aí que possuem dons e até já foram usados por Deus, mas se afastaram do convívio com o corpo por alguma decepção ou diferença de pensamento e estão desperdiçando algo tão precioso.

O significado de ser útil ao Reino não é só servir à igreja como muitos pensam, não é só pregar, não é só não dar mal testemunho, é também servir ao próximo, é também ter misericórdia dos que sofrem. Ser útil ao Reino é amar com aquele mesmo amor que recebemos do Pai, é dar um passo em direção a quem nem merece ajuda de ninguém, é levar esperança aonde não existe mais pelo que esperar. Ser útil ao Reino é levar o evangelho junto com a ação social, é dar e fazer as pessoas perceberem que é Deus quem as está dando através de nós, e não porque somos bonzinhos, mas porque Deus é bom e Jesus se importa com elas. O resto do trabalho é o Espírito Santo quem vai fazer, só Ele pode trazer o arrependimento e a conversão para as pessoas.

Você alguma vez já se sentiu inútil para o Reino? Já olhou pra sua vida e parou pra pensar se está sendo apenas um ouvinte da Palavra ou se coloca em prática o serviço que ela requer de você? Eu me sinto assim algumas vezes e não há como negar que estou devendo muito, mas sentir isto é bom sinal, quer dizer que Deus está me despertando desta vida insignificante. O evangelho foi a coisa mais importante que aconteceu em nossas vidas e muitas vezes o reduzimos a um mero acontecimento que nos remete apenas a deixar de fazer algumas coisas erradas, raramente a fazermos alguma coisa útil para o Reino. Sempre seremos servos inúteis, pois não podemos fazer nada por nós mesmos, mas podemos ser instrumentos pelos quais o Senhor vai fazer muitas coisas.

Os capítulos 12, 13 e 14 de Coríntios falam acerca do assunto dom espiritual, o contexto de todos eles é o dom, o serviço que devemos nos prestar, com amor, para edificação de todo o corpo. O ideal era cada um ajudando a cuidar do outro, cada um com uma função (que é intransferível), cada um se completando, mas muitos não conseguem nem cuidar de si mesmos sem ajuda e aí que se faz necessário que trabalhemos.

Sabemos que seara é grande e são necessários muitos trabalhadores, diante disto pedir ao Pai que envie trabalhadores é até fácil; difícil é a gente se oferecer como um destes trabalhadores, difícil é estarmos dispostos a deixar nossa "santa" inutilidade para sermos úteis para o Senhor (Aquele quem dizemos ser o dono de nossas vidas, amor maior do nosso coração).

terça-feira, 19 de julho de 2011

Smart Passione Esqueceitor Revolution


Olá! Permita-nos adentrar em seus ventrículos para te fazermos algumas perguntas íntimas. Você, mulher feminina, está arrasada porque foi abandonada pelo namorado? Você, homem masculíneo, está desiludido porque foi ignorado por sua amada? Não consegue esquecer a pessoa? Você se sente uma pobre formiguinha esmagada pelos pesados pés deste hercúleo e gigantesco sentimento de insignificância que te atormenta dia e noite? Ai que dó! Que dó! Que dó!
Por mais que tente se esconder das câmeras do Big Brother da Vida é possível perceber que você é uma pessoa mal-amada, mal-passada e flambada pela dor. Não adianta fingir que não é com você, as profundas marcas no seu cotovelo te denunciam! Não é preciso ser nenhum profeta para adivinhar o que se passa contigo. Seus olhos já não brilham como outrora e sua vista está embaçada pela catarata da rejeição. Seu nariz não produz mais tantas bolinhas de cera como antigamente e neste salão vazio não se ouve mais nenhuma música, acabaram-se os bailes. Sorrir te exige mais esforço do que resistir a uma tempestade intestinal no meio do trânsito, você simplesmente não consegue se desconcentrar desta maldita desilusão que te assola desde a sola rachada dos pés até a ponta desta sua cabeça oval. Ai que dó! Você foi completamente abduzido(a) por uma paixão que te deixou completamente fora de órbita, pobre terráqueo(a), hoje está vagando por aí chorando pelo leite via-lácteo derramado e não consegue mais sair deste buraco-negro existencial, muito triste.
Pois é, fazemos ideia do quanto é penoso passar por isto. A gente somos sensíveis à sua dor tanto quanto nós é bom de concordância verbal! Se és mulher, sabemos que tudo que queres é esquecer aquele cachorro lambisgóio que te largou, mas és incapaz de não lembrar das juras de amor que te conquistaram e daquele gostoso abraço jibóico que te envolvia toda; se és homem sabemos que queres apagar da memória aquela galinha d'angola paraguaia que não te quer, mas não consegues parar de pensar naquelas belas canelinhas de sabiá. É duro, irmão(ã), nós sabemos, é muito duro esta vida de não-correspondido, mas tende bom ânimo, para tudo existe uma solução, lembre-se de que a misericórdia acorda e se levanta cedo a cada manhã! Estamos aqui para iluminar os finais dos túneis, viemos trazer luz aos cegos sentimentais.
Foi pensando em você, homem e mulher cristãos, a verdadeira igreja, que nossos gabaritados, revisados e corrigidos psico-pastores-cientistas elaboraram um impressionante, brilhante e refrigerante método amnésico-sentimental que vai fazer a fila da sua vida voltar a andar, expulsando do seu interior toda memória que não lhe traz esperança!!! (Ouvimos um amém aí, igreja?). É com intrepidez e regozijo que anunciamos a boa-nova de que acaba de ser lançado o revolucionário, canário e legendário método Smart Passione Esqueceitor Revolution!!! Dê um brado de vitória, a sua libertação chegou!!! Nós estamos falando de um método que vai fazer uma limpeza profunda do seu âmago interior!!! É algo muito além da capacidade purificadora de Activea e de Lacto-Purga juntos, estamos falando de uma cura intra-hepática do coração da alma, alma esta que padece por uma paixão mofada e encardida que asmatiza os brônquios do seu espírito, te impedindo de respirar a beleza da vida. Isto não é demais?!?
Nossa didática leva o indivíduo a um profundo questionamento intra-cutâneo de seus sentimentos visando chegar ao cerne do problema. Este método exigiu anos de estudo, jejum e oração, mas depois de tanto esforço vimos que todo o trabalho valeu a pena; e com muita sabedoria apostólica conseguimos simplificar todo o processo em apenas 3 simples passos!!! Tome nota deles, tome posse e liberte-se!
Passo 1) Aniquilando o poder das palavras.
Você se lembra o que o seu pastor pregou no último domingo? Pode pensar, nós esperamos........ Ok, pode parar de enrolar, já sabemos que você não se lembra de nada, seu(ua) sonso(a)! Pois bem, o que podemos extrair de bom do fato de você ser um retardado(a) espiritual? Pense....... Como isto lhe pode ser útil? Calma, vamos te ajudar...
Canalize suas energias apostólicas e use o poder da sua mente intra-craniana para imaginar a pessoa que você quer esquecer. Isto, agora imagine-a com a mesma voz do seu pastor. Para os homens pode ser mais difícil imaginar isto, caso se sinta meio boiola com esta abstração, imagine-a com a voz de uma backing vocal do louvor (sabemos que você também não se lembra nem do que foi cantado no culto, não pense que nos engana). Talvez você nunca tenha ouvido a voz da pessoa amada, somente se relacionou virtualmente, e agora, o que fazer??? Muita calma, pensamos nisto também, neste caso imagine que as twittadas, orkutadas, eme-esse-enadas ou facebooktadas deste ser virtual desprovido de coração são como aqueles detalhes costureiros e estilísticos das vestes sacerdotais do livro de Êxodo na tradução Revista e Atualizada(sabemos que você não se lembra nem que tinha isto em Êxodo).
Vamos lá, imaginou? Ótimo. Agora vigorosamente vire sete vezes a cabeça da esquerda para a direita para transferir para o outro lado do cérebro tudo que a pessoa disse ou teclou, mas substituindo tudo pela voz do seu pastor (dublagem) ou pelos detalhes da moda sacerdotal. Pronto! Seu cérebro automaticamente se esquecerá de todas as palavras marcantes que a pessoa te disse, sejam faladas ou escritas! A técnica é transferir a memória para um outro lugar, adulterando seu conteúdo e enganando o cérebro, pois o novo endereço da memória não sabe nada do que estava guardado no antigo endereço. Simples e brilhante, não?
Passo 2) Transformando o pranto em riso.
Lembrar desta pessoa te deixa triste, não deixa? Isto até já te fez chorar, não fez? Tudo bem, homem, pode ter sido culpa de um cisco que caiu no olho, mas pelo menos uma lagrimazinha besta já rolou, não rolou? Confessa... Vamos lá, agora imagine-se você desidratado e com uma forte diarreia, você passa mal, acha que vai morrer (e no fundo até quer morrer logo mesmo), pensa que é um caso perdido para a medicina e tal. Mas o que você não sabe é que sua cura é mais simples do que imagina, você não a enxergou por estar deprimido e debilitado pela falta de esperança de pode voltar a soltar um pum sem colocar sua fragilizada saúde em risco. Na verdade tudo o que você precisa é fazer um soro caseiro e beber.
Você deve estar se perguntando qual o significado desta parábola, e eis que te damos a explicação hermenêutica da mesma. Para se recuperar emocionalmente de um amor traumático você precisa de um soro espiritual para hidratar seus sentimentos. Só que você não possui nem água, nem sal, nem açúcar, e então, o que fazer? Neste momento é preciso usar a sua fé e fazer um ato profético de cura coronária. Você deve se quebrantar, chorar muito e beber o líquido salgado de suas lágrimas cantando aquela música gospel que diz que a sua vitória hoje tem sabor de mel. De preferência cante no tom de voz da Paula Toller do Kid Abelha, isto acarretará numa maior produção de mel espiritual. O açúcar do mel espiritual transformará suas lágrimas em um soro regenerativo que vai dissipar toda a tristeza do seu sistema sentimental nervoso trazendo de volta a doçura e a calmosidade de viver. Este soro, ungido na esperança, funciona também como um Biotônico Fontoura espiritual para te dar a força emocional que você tanto precisa para se colocar de pé, levantar a cabeça e caminhar pra frente.
Passo 3) Lançando suas redes.
Nem sempre o mar está pra peixe, mas mesmo assim todo pescador precisa lavar as suas redes e tentar novamente. Toda pesca tem seu risco, e é preciso ter cuidado com o temido tubarão-cafajeste-do-papo-legal e ficar muito esperto com a carnívora piranha-sangue-suga, estes animais são muito perigosos e podem acabar com a vida do pescador, mas nem por isto o pescador para de pescar.
O que podemos aprender com mais esta preciosa parábola? O bispo Arnaldo Cezar Coelho diria claramente "a parábola é clara, frei Galvão!". Uma vez recuperado emocionalmente (redes lavadas), você precisa tentar novamente (lançar suas redes) em busca de um novo, aqua-vivo e verdadeiro amor. A mulher deve procurar seu Isaque e o homem procurar sua Rebeca, mas tomando cuidado para não se deixar enganar pelas Dalilas e pelos Judas que existem por aí neste mundo tenebroso, eles são traíras terrestres e possuem espinhos mortíferos. Por segurança é melhor ouvir a voz da sabedoria e lançar a sua rede mais ao fundo, numa hora ou momento atípico, aonde não se espera muita coisa para então fazer a sua tão sonhada pesca maravilhosa! Sua rede ficará milagrosamente cheia com um único peixe que vai fazê-lo(a) muito feliz!
É muito importante realizar este passo somente depois de concluir os dois anteriores, senão o método não funcionará corretamente, podendo trazer terríveis efeitos colaterais, bilaterais e sem laterais sobre a sua vida.
Bom, é isto aí querido(a) leitor(a), imaginamos que você esteja embasbacado(a) com tamanha profundidade, sabedoria, unção, praticidade e prolixidade deste revolucionário e inspirado método de esquecimento, não é mesmo? Estamos convencidos pela fé de que é impossível que, uma vez iluminados pelo conhecimento aqui exposto, alguém venha a esquecer o que aprendeu com o Smart Passione Esqueceitor Revolution!!! Por isto clamamos e profetizamos, não se esqueça de dar sua oferta especial a este ministério, afinal esta obra não pode parar! Ajude-nos a libertar vidas do limbo existencial amoroso. Ouvimos um amém aí, igreja?

domingo, 17 de julho de 2011

A distorção do amor de Deus


O conceito de amor atualmente está bem distorcido, basta olhar para nossa sociedade mimada que não educa os filhos por achar que não estão agindo com amor ao corrigí-los. Isto afetou até mesmo a compreensão de muitos sobre o amor de Deus e sobre o Deus que nos ama. Deus é amor sim, mas pensam que o amor dele deve seguir este padrão distorcido que criamos. Muitos se esqueceram de que não existe amor sem justiça, não existe amor sem princípios, nem amor sem lealdade. Alguns dizem que o amor relativiza tudo, mas se esquecem que o verdadeiro amor nunca vai relativizar a verdade, nem os princípios e nem a justiça.

Eu confesso que fico irritado com esta doutrina distorcida de "amor" que está virando a cabeça de muitos cristãos hoje em dia. Eles preferem palavras bonitas de um "filósofo" metido a teólogo que quer Deus apenas como um Pai amoroso e complacente com todos os nossos erros, passando a mão na cabecinha de todos, mas não querem Deus como Senhor e Justo Juiz. Parece que a Palavra de Deus não vale nada pra eles, só acreditam naquilo que lhes interessa, naquilo que afaga o ego ("eu sou amado, eu sou um mimo do meu papai do céu"), não há consequências pelos atos, "Deus é amor", não é capaz de trazer ou permitir nenhum mal a ninguém, muito menos trazer juízo ou sofrimento sobre um povo ou sobre uma pessoa. É parecido com o povo de Israel que não fazia o que era certo diante de Deus e depois ficava murmurando contra Ele "o que nós fizemos de mal? qual a nossa culpa? porque é tão mal conosco?".

Simplesmente não querem ser governados por Deus, acham o Deus bíblico um tirano, e alguns falam até que Ele seria um demônio se Deus trouxesse sofrimento ao homem. Pois é, o que dizer do sofrimento causado pelo dilúvio, pela destruição de Jerusalém através dos babilônios, da conquista da Terra Prometida? Isto tudo não trouxe sofrimento a alguém? E quem ordenou que estas coisas acontecessem, foi Deus ou um demônio? Deus não é um tirano e muito menos demônio, acho que demônio é este falso deus em quem eles dizem crer.

Pela lógica de pensamento deles então não pode sequer existir inferno (alguns já estão negando a existência dele), afinal Deus é "amor", Ele não seria tão "injusto" e "mal" ao ponto de condenar uma pessoa a ir pra lá. Afinal, nós homens somos tão bonzinhos, tão puros, tão angelicais, nossos sentimentos são tão bacanas, né? São pensadores mas não param pra pensar que Jesus não retirou uma vírgula do que foi escrito sobre Deus no Velho Testamento, o próprio Jesus conhecia muito bem as Escrituras e o Novo Testamento é uma explicação do Velho, não uma negação das verdades contidas nele. O próprio Jesus também falou do inferno, lembram? Mas se Jesus ama a todos, como que Ele pode ter a coragem de mandar alguém pra lá? Nisto não pensam.

Entendeu o que eu quis dizer? Este deus de amor deles não se sustenta pelas verdades bíblicas, não é verdade, não é o mesmo Deus verdadeiro! Pra eles é como se o amor do Deus bíblico fosse muito pouco, muito raso, insuficiente. Se olharmos a história da igreja veremos que boa parte das heresias atuais não são novas, surgiram há séculos atrás e foram combatidas e vencidas, mas estão voltando aos poucos, com uma roupagem moderna, porém com a mesma essência.

Imagine você conhecer uma pessoa, daí você faz uma imagem de como ela é, se apaixona e começa a namorar com ela. Pois bem, um belo dia você começa a descobrir que ela não é bem exatamente o que você achava, você vê que criou uma imagem irreal dela; e como a imagem verdadeira não te agrada tanto então você termina o namoro e parte pra outra. Isto provavelmente vai acontecer com quem acredita neste deus fantasioso, na hora do sofrimento (que pode acontecer com qualquer um) ou na hora que virem que na verdade Deus não é muito bem o que pensavam então se escandalizarão e O rejeitarão por se acharem bonzinhos e Ele um Deus duro, injusto e mal, seja por exercer a Sua justiça sobre o mundo (justiça que por sinal é diferente da nossa), seja por permitir que algo de ruim aconteça. Parece que não compreendem nada do que Ele revelou de si mesmo aos profetas e apóstolos, e nem o que Jesus revelou do Pai.

É impossível compreender a Deus totalmente, mas distorcer sua imagem pra achar justificativas ou pra afagar nosso ego em meio a nossa pequenez e nossa depravação moral não vai ajudar em nada, muito pelo contrário. Nem a rica misericórdia Dele é suficientemente boa para quem pensa assim, no fundo julgam que todos são merecedores de se dar bem no final, apesar de todo o pecado cometido que ofendeu a santidade de Deus e também afetou a vida de nossos semelhantes. A nossa compreensão Dele deve estar baseada pela Palavra, que é a nossa única fonte segura de referência.

Deus ama sim, e tanto amou o mundo ao ponto de dar Seu Filho. Mas não se engane, Jesus não morreu por todos, se assim fosse não existiria morte eterna, inferno, e o próprio Jesus não teria dito que era o Pai que dava a Ele as pessoas que haveriam de crer, e que aqueles que o Pai lhe desse jamais os lançaria fora, e que as suas ovelhas ouviriam a Sua voz, mas as que não ouvissem não eram suas ovelhas, e que a porta era estreita e poucos passariam por ela, etc. Em meio a um mundo de gente que não está nem aí pra Deus, Deus escolheu um povo pra chamar de Seu, nisto está o amor Dele pela humanidade, não em salvar a todos, mas não deixar que todos se percam merecidamente em seu pecado. Não pense que por si só o homem consegue se achegar a Deus, nosso pecado nos separou Dele e dependemos Dele pra tudo. Até o amor que sentimos pelos outros é dom Dele, traços que ainda sobraram por sermos criados à semelhança Dele, mas fomos corrompidos pelo pecado que habita em nós.

Sei que geralmente as pessoas não gostam do que foi escrito aqui, principalmente por ser difícil compreender o amor de Deus e nem eu o compreendo direito, mas algumas verdades não podem deixar de serem ditas. A verdade nunca deveria sair da moda, mas parece que saiu. É verdade que Ele nos ama, mas não vai negar a Sua santa Palavra e nem Seus princípios éticos por amor a um miserável pecador como eu ou você, não se iluda. Escrevo estas coisas em amor, espero que compreenda.


**Já escrevi algo relacionado a isto no post Seu Deus é uma mentira?. Hoje li um post das queridas Meninas do Reino chamado Amor e Justiça e sua relevância me impulsionou a escrever de novo sobre o tema, vale a pena lê-lo.

domingo, 10 de julho de 2011

Quando fugir é a melhor saída

Não foi à toa que o apóstolo Paulo alertou Timóteo pra fugir das paixões da mocidade, seja qual tipo de paixão for, amorosa ou qualquer outra. Às vezes a única alternativa eficaz que temos de enfrentar e calar alguns sentimentos que não deveriam existir é fugindo deles. Quem acompanha este blog há algum tempo já percebeu que luto contra alguns sentimentos (e devem estar de saco cheio...risos...até eu estou) que queria que nunca tivessem existido, e ainda estou fugindo deles.

Alguns sentimentos nos enganam, parecem ter acabado mas na verdade ficam adormecidos. Pensamos ter virado definitivamente uma página e de repente um vento sopra e a folha se abre novamente na página anterior, contra nossa vontade. Este vento pode ser um novo contato com a pessoa que protagonizou a página anterior, acendendo um utópico "quem sabe ainda é possível? quem sabe algo muda?", ou pode ser até mesmo no caso de alguns uma sensação de que o presente é ainda pior que o passado. E a página virada volta para diante dos seus olhos, mas seus parágrafos não estão apagados, e a história se repete, sem nem um enredo sequer, apenas palavras desconexas.

Antes que eu seja mal interpretado pelo assunto do post, estou escrevendo não para desabafar e muito menos alfinetar, só usei meu exemplo como ilustração inicial; a moça de quem procurei "fugir" dela não tem culpa nenhuma do que senti e também não tenho do que reclamar da atitude dela em relação a mim, merece o meu respeito e até mesmo admiração por ficar na dela, sem procurar muito contato, evitando até mesmo uma falsa expectativa minha.

É muito comum ver pessoas amarradas a outras que não deveriam receber o sentimento que lhe são dados. É muito comum ver mulheres encantadas e escravas de um namorado que não dá o devido valor a elas. É comum também ver homens presos a uma namorada que só quer o conforto material que ele dá. É muito comum pessoas se interessarem por outras que não estão interessadas nelas, seja por gostarem de outro alguém ou simplesmente por não sentir mesmo nada de volta (o que não é nada errado, basta lembrar das pessoas que se interessaram por você e você não sentiu vontade de dar uma chance). Vou tentar não aprofundar muito porque o assunto é longo e complexo.

Por mais encantado que uma pessoa esteja por outra, é possível perceber quando o que você sente não é recíproco (a menos que ela seja um excelente ator). É possível perceber que aquele seu namorado(a) não te dá atenção suficiente (bom senso no suficiente, por favor, grude não). É possível perceber que ele(a) não se preocupa muito com você, com seus sentimentos, nem em te agradar em nada. É possível até mesmo saber, pelo histórico de vida dele(a) e pelo seu comportamento, se ele(a) é fiel a você. Não se engane, é raro a pessoa mudar de verdade, a maioria mente descaradamente falando que mudou depois de você, mas não mudou nada, eu sou homem e já vi muito disto acontecer, elas acreditam e alguns caras deitam e rolam, mulher está muito fácil no mercado paralelo (homem também). E infelizmente as mulheres não estão muito pra trás dos homens não, algumas são até piores. É possível também perceber quando uma pessoa não vive a fé que professa, tem muito lobo disfarçado de cordeiro, mas eles não conseguem fingir o tempo todo, basta deixar de ser sonso(a) e ver que está entrando numa "santa" fria.

Por mais que a pessoa perceba estes sinais de que algo não está bem ela prefere fechar os olhos a tudo isto pelo "privilégio" de passar alguns momentos com a pessoa "amada". E muitas vezes estes momentos não agradam nada nada a Deus, muitos sabem disto, mas o que Deus pensa não é importante, o importante é o momento, é a pessoa "amada". Isto mostra exatamente o que Deus significa pra gente nestes casos.

Ao fechar os olhos para estes sinais estamos fechando os olhos para nós mesmos. Se entramos num relacionamento que não é sadio, ou que não nos acrescenta nada ou que não satisfaz nossa necessidade de cumplicidade e companheirismo, de compartilhar a vida, de segurança emocional, etc, será que estamos dando valor a nós mesmos? Relacionamentos assim são como uma canoa furada, certamente um dia vai afundar, quando isto vai acontecer vai depender do tamanho do buraco, mas que vai afundar, vai. E se afundar antes do casamento, menos mal, mas ainda assim o tempo perdido não volta e as marcas podem te atormentar a vida inteira.

Gostar de uma pessoa que não sente o mesmo ou não gosta o bastante ou não é bem o que aparenta ser, vai te acrescentar o quê, além de frustração? Então porque não seguir seu caminho e esquecer esta pessoa? Não fique chateado com ela e nem a culpe por não gostar de você (e nem a você mesmo), apenas se livre deste sentimento e se abra para o que Deus pode colocar no seu caminho. Nunca deixe de resolver seus sentimentos antes de se envolver com outra pessoa, ninguém gosta de ser usado para tapar buraco de outro, nem estar com alguém que no fundo ainda gosta de outro. Às vezes estamos tão "doentes" e presos à pessoa errada ou à uma frustração, que não enxergamos as oportunidades que Deus coloca à nossa volta, quando percebemos já é tarde demais, passou. E não sabemos quando Ele vai nos dar outra chance, pode demorar bastante.

Nossas escolhas vão definir como vai ser a nossa vida. Podemos escolher se vamos fazer com que nossos relacionamentos sejam excelentes ou medíocres, podemos escolher como vamos agir em prol do outro, como vamos nos comportar em relação ao outro, mas nossa escolha para aí, nunca poderemos escolher pelo outro. Somente podemos escolher quem será este outro (desde que nos escolha também) e nesta escolha não podemos errar, se escolhermos a pessoa errada nossa vida sentimental vai dar toda errada e vai afetar muito as outras áreas da nossa vida.

Esquecer alguém não é uma tarefa fácil, exige esforço e muitas vezes até mesmo uma fuga de tudo que te faz lembrar a pessoa ou o que sentia, principalmente quando sua mente se habituou a lembrar dela ou querer alguém como ela. Nestes casos fugir não é covardia, é sabedoria. Se está difícil tirar isto da mente, como vai conseguir se toda hora você se coloca num lugar ou numa situação que te faz lembrar dela? Como esquecer se você vê a pessoa todo dia? Um tempo de afastamento pode ser necessário, e muito útil para rever várias coisas na vida, inclusive seu relacionamento com Deus.

Como cristãs as pessoas tem que pensar no que querem para seu relacionamento, em como ele vai ser bênção pra sua vida com Deus. Eu sempre quis pra mim um relacionamento onde Deus estivesse não só presente, mas no centro dele, não me agrada a ideia de me casar com uma mulher que não leva Deus a sério, nem com uma que não seja convertida a Jesus e não quer andar lado a lado com Ele. Não quero andar sozinho na caminhada cristã, quero uma companheira que esteja caminhando lado a lado, buscando lado a lado, seria triste ter meu lar dividido espiritualmente, nas horas difíceis eu não teria ajuda. É isto que Deus quer, união, por isto Ele não gosta do jugo desigual, porque é melhor serem dois com um só propósito. No namoro, estatisticamente falando, o jugo desigual em grande maioria afasta quem quer servir a Deus da caminhada. Pode até dar certo e resultar em um bom casamento, mas é como uma loteria (não se engane). Tem muita gente que não dá valor a isto e quebra a cara, tem um casamento meia-boca quando poderia ter tido algo bem melhor se não estivesse cego(a) por uma paixão. E jugo desigual não se limita a fé (tem muita gente que professa a mesma fé cristã mas seus atos revelam sua verdadeira fé), serve para tudo que exija comum acordo.

Fuja de um relacionamento que você sabe que não é o melhor pra você, ainda que te doa agora saiba que no futuro irá ver que não poderia ter feito melhor escolha. Fuja, se esconda, desapareça se for preciso, e depois de resolvido seus sentimentos permita-se encontrar e ser encontrado(a) pela Graça de um relacionamento bom, nunca se permitindo cegar novamente por alguém.

Não consigo imaginar um relacionamento que não exija dedicação, doação, esforço, e até mesmo sacrifício para fazer dar certo, nem tudo são flores, a vida não é um filme. Se uma pessoa não está disposta a isto não pode estar disposta a se relacionar sério com ninguém, ambos precisam ser guerreiros. No caso de nós, homens, temos a obrigação de amar nossas esposas profundamente, como Cristo nos amou e se deu por nós, nos colocarmos sempre no lugar delas, não esquecendo de que são sensíveis e precisam de atenção e carinho, dignas de mais importância até que os filhos, pois são as nossas companheiras. Devemos nos lembrar que não somos superiores a elas, nem inferiores, apenas com funções diferentes que se cooperam e a nossa responsabilidade no casamento e no lar é maior que a delas, visando mais o benefício delas e dos filhos do que o nosso próprio. No caso das mulheres, dar o suporte e o apoio que o homem precisa para amá-las e para liderar o lar, bem como não deixar que os filhos tomem o lugar dele no coração e no tempo. Se os dois tiverem esta visão não tem como dar errado, não tem como não se amarem. Por favor, não queiram menos que isto, não se contentem com pouco, se estão caminhando pra algo diferente disto, fujam enquanto dá tempo.

domingo, 26 de junho de 2011

Quando mergulho pra dentro de mim

Quando mergulho pra dentro de mim vejo um velho homem crucificado, mas na verdade suas mãos não estão pregadas, nem seus pés. Ele só está ali por conveniência, talvez por não ter mais aonde ir, quando quer sai para fazer o que sempre gostou e que o destrói sem perceber.

Quando mergulho pra dentro de mim vejo alguém que nasceu de novo mas nunca se livrou totalmente das más lembranças pra viver o que esta nova vida tem para ele. O novo de certa forma o assusta tanto quanto o velho ainda o atormenta.

Quando mergulho pra dentro de mim eu vejo um coitado que mendiga o amor como se mendigasse uma moeda de 10 centavos, seria cômico se não fosse patético. Apesar de saber que tem valor, ele não acredita de verdade, mais ou menos como diz uma bela canção: "eu sinto que existo, mas falta alguém pra chegar e dizer".

Quando mergulho pra dentro de mim ouço vozes que proferem mentiras sobre mim, mas, por mais que sejam mentirosas, me convencem ao ver nos outros e em minha vida que elas não deixam de ter uma certa razão.

Quando mergulho pra dentro de mim vejo um menino que não cresceu, apenas ficou mais velho e não viveu o que poderia ter vivido. Este menino já não brinca como antes, está cansado dos velhos brinquedos e, ao mesmo tempo que se acha cru demais para certas coisas, já se julga velho demais recuperar um pouco do que perdeu.

Quando mergulho pra dentro de mim vejo um cara congelado em um grande bloco de gelo, mas dá pra perceber que ele está consciente, seus olhos estão abertos e parece que ele se vê ali, mas não consegue fazer nada pra sair e isto parece o congelar mais ainda. Sua expressão muda às vezes, provavelmente quando se desliga pra imaginar-se aquecido pelo calor que talvez um dia o vá libertar de todo aquele gelo.

Quando mergulho dentro de mim vejo sonhos empoeirados, vejo também sonhos que provavelmente não são pra acontecer e insistem em existir, mesmo contra a vontade. Apesar deles não terem envelhecido já não tem o mesmo vigor motivacional que eram pra ter, talvez porque no fundo espero um dia não sonhar os mesmos sonhos de antes, ao menos os que não vão acontecer.

Quando mergulho dentro de mim vejo um impostor que dia após dia me sabota e com a cara lavada diz que está tentando me proteger de alguma frustração, mas no fundo ele quer me ver só. Este impostor também precisa da luz de Cristo, precisa ser confrontado com Ele dia após dia, pois ele também faz parte de mim, de quem sou.

Quando mergulho pra dentro de mim vejo que não sou nada sem Ele, vejo que preciso da graça Dele pra viver, pra lutar, pra vencer a mim mesmo. Vejo também que me tornei alguém que não queria ser, mas clamo ao misericordioso Oleiro que despedace este velho vaso e faça um novo, totalmente diferente do velho e muito parecido com Seu Filho, Jesus. E que o novo traga esperança e ajude a expandir o Seu Reino neste mundo que tanto carece de conhecer o Seu amor.

domingo, 12 de junho de 2011

Seu Deus é uma mentira?

Antes de tocar no assunto, gostaria de fazer uma pergunta: O que é a bíblia pra você? Um livro com bons ensinamentos ou a Palavra de Deus revelada aos homens? Não é de hoje que acontece, mas vejo claramente que falta respaldo bíblico sobre o que é dito sobre Deus no meio cristão em geral. Existem muitas correntes de pensamentos a respeito Dele, várias explicações para definir quem Ele é, o que Ele faz e como Ele age, várias teologias, etc. Já criaram um deus intolerante e bravo, já criaram um deus distante, já criaram um deus que é impotente e se reduziu para ser compreendido pelo homem, enfim, já criaram vários deuses em cima de um único Deus.

Atualmente vejo que está na moda a Teologia Relacional, que é uma reinvenção de Deus por julgarem ultrapassado e insuficiente o que foi compreendido até aqui pela revelação das Escrituras. Esta desculpa de que o homem entendeu Deus totalmente errado até hoje não me convence, particularmente acho que simplesmente quiseram um deus diferente do que é relatado na bíblia; eles não gostaram do Deus revelado nela e inventaram um deus com características um pouco diferentes do que é descrito na Palavra para satisfazer nossa necessidade humana de encontrar explicação pra tudo e, lógico, de uma maneira que nos deixe satisfeitos e confortáveis com tal explicação. O homem demonstra que a cada dia involui espiritualmente ao querer mudar Deus segundo os pensamentos da pós-modernidade, se esqueceu que Deus não muda.

Segundo eles o fato de Deus ser amor implica em dizer que Ele é incapaz de causar qualquer sofrimento ao homem, se Ele o faz é um demônio ou um tirano. Fizeram do amor de Deus um deus, mas Deus é mais que isto, é uma pessoa. Segundo eles Deus não permitiria catástrofes, se aconteceu foi porque Ele foi pego de surpresa, não podia fazer nada (coitado, né? tão fraquinho esse deus), mas a bíblia escancaradamente afirma que Ele está no controle de tudo, apesar da desobediência humana. Alguns ensinam também que Deus não sabe o futuro, sendo assim está à mercê de nossas inesperadas decisões, e assim, consequentemente concluem que a queda de Adão não foi pré-conhecida. A bíblia, porém, afirma que Jesus não foi plano B, Deus sabia que o homem iria cair e antes da fundação do mundo já planejou a nossa redenção em Cristo, Ele não foi pego de surpresa! É obvio que Ele sabe o futuro. Se fosse assim, como explicar o cumprimento das profecias? Deus acertou no chute? (Quanta sorte Ele tem, não é mesmo? Não erra uma!)

O Deus da bíblia é amor, se importa comigo e com você, quer o nosso bem, quer se relacionar conosco e ser adorado por nós. Sim, isto é fato, Deus é bom demais! Porém, não podemos reduzi-Lo a um deus "sentimentalóide", extremamente emotivo e carente do contato humano, que só faz o que nos agrada, não pune, não castiga, não corrige, não governa o mundo, etc. A mesma bíblia afirma que Deus mandou o dilúvio, que Deus mandou anjos matarem os primogênitos no Egito, inclusive o filho de Faraó (leia Gênesis). Afirma que Deus arrasou os cananeus e amalequitas através de Israel, arrasou Israel através da Babilônia, arrasou a própria Babilônia através dos medos, e assim fazia. Ele governava e ainda os reinos, se não acredita veja em Jeremias 27:6-7 um exemplo disto. Velho Testamento também é bíblia e Jesus o estudou, e até no Novo Testamento Deus faz coisa que é difícil entendermos, como no caso de Ananias e Safira (Atos 5). Como entender tudo isto? Eu não sei!!! Só sei que isto não faz com que Ele deixe de ser bom e nem amor! Somos maus segundo os padrões Dele e bons aos nossos padrões, nunca podemos nos esquecer disto! O juiz é Ele e não nós! E por mais que não entendamos todos os seus critérios, Ele é justo.

Por favor, vamos acordar, isto é muito sério, qualquer evangelho diferente do que foi revelado aos apóstolos deve ser considerado anátema. Por mais florida e bela que pareça a teologia que estão criando sobre Deus, os fins não justificam os meios, a verdade bíblica não pode ser deixada de lado. Ignorar relatos da bíblia sobre quem Deus é e criar um deus diferente do Deus revelado nela pra encontrar explicações para as injustiças do mundo é apostasia, busquemos e aceitemos a verdade sobre Deus. Vivemos num mundo injusto e a queda do homem foi a origem disto tudo, Jesus também sofreu aqui e também foi injustiçado aqui, pessoas boas sofrem e pessoas más se dão bem, o mundo é assim, Deus decidiu assim e o próprio Jesus deixou bem claro numa conversa com Pilatos de que Seu Reino não é deste mundo (apesar Dele ser o dono).

Temos que parar com esta mania de querer explicação pra tudo. Deus não é obrigado a nos explicar nada e nem a contar os Seus planos. Nem se Ele contasse iríamos entender, somos limitados, temos que aceitar isto e confiar Nele. Ele é bom, mas Ele traz o "mal" e o bem sobre justos e injustos e também visita as iniquidades dos pais nos filhos. Ele é misericordioso, mas usa de misericórdia com quem Ele quer. Ele é Deus, quem manda é Ele, coloquemos-nos no nosso lugar, por favor! É pela misericórdia Dele que não fomos consumidos, somos ingratos e mimados, queremos que Ele nos atenda em tudo, nos satisfaça em tudo, e aí quando algo não vai do jeito que gostaríamos então reclamamos à vontade, às vezes chegamos ao ponto de pensar que Ele não é tão bom assim.

Muito se fala do amor de Deus, mas cada vez mais o homem quer criar um deus mais "humano", mas lembre-se disto: Jesus é quem foi o verdadeiro humano, nós somos decaídos. Jesus é filho de Deus, disse que veio cumprir a Lei e não revogá-la, Jesus falou também que erramos em não conhecer as Escrituras porque elas testificam Dele. Não tenho dúvidas de que este deus que criaram não é o mesmo Deus das Escrituras, é apenas parte Dele, é uma meia-verdade. Deus é amor, mas Ele também é soberano, todo-poderoso, controla a história do mundo, Seus caminhos são mais altos e Seus critérios de justiça diferentes dos nossos. Nem uma folha cai sem permissão Dele.

O seu deus é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó? É o mesmo Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo? Se não é, sinto muito te dizer: seu deus não existe, é uma mentira, não passa de um ídolo forjado pela intelectualidade humana que no fundo não aceita o Deus verdadeiro revelado na bíblia e confirmado pelo próprio Jesus. E se para você, que diz crer em Jesus, apenas algumas partes da bíblia são verdade, quem lhe garante que o que está escrito sobre seu Jesus é verdade e que Ele é verdadeiramente filho de Deus?

Hoje está na moda a discriminação das certezas (rejeição de verdades absolutas), mas tratar toda certeza como nociva é um erro pós-moderno (mais um!), é a relativização de tudo, é não crer efetivamente em nada. Por mais que nossas certezas e convicções incomodem quem pensa diferente, algumas certezas nós temos que ter na vida, isto se chama fé; e é somente pela fé que somos salvos, desde que depositemos nossa fé na Verdade. Sem fé é impossível agradar a Deus, não podemos esquecer disto.

Devemos ter cuidado para não amarmos um deus que não existe, pois é diante do Deus verdadeiro que iremos comparecer e é pelo Filho Dele que seremos salvos. Imagine Deus te dizendo: "Não te conheço, sinto te contar isto, mas o seu deus era outro! Eu Me revelei para que você pudesse Me conhecer, só que você não se interessou por Mim.". Lembra que Jesus disse que Ele e o Pai são um e que quem rejeita o Filho também rejeita o Pai? Pois bem, ouso concluir que quem rejeita o Pai consequentemente rejeita o Filho. Se a pessoa não gosta do Pai no final das contas não gosta de nenhum dos dois, pois são iguais.

A bíblia nos alerta de falsos mestres, de pessoas que não iriam suportar a sã doutrina, disto o pessoal se lembra (apesar de não se preocuparem com a verdade). Só que ela alerta também que eles iriam sair do meio de nós, e disto poucos se lembram. Não escrevo este post para atirar pedras, nem para chamar de herege quem quer que seja, só estou aqui para chamar a atenção para uma triste realidade que, se não for combatida, vai impedir que muita gente tenha pleno conhecimento da Verdade.

Para terminar, insisto com uma pergunta feita acima: O seu deus é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó? Este é o Deus verdadeiro, o Deus da bíblia, e Jesus é um com este Deus. Não há outro, portanto não se apegue a meias-verdades, não se apegue a uma mentira.

sábado, 11 de junho de 2011

Enquanto tento


Enquanto tento te esquecer
os dias passam sem deixar lembrança
Enquanto tento te tirar daqui
sinto vontade de que aqui fosse o seu lugar
Enquanto tento recomeçar
queria que meu ponto de partida fosse novamente você
Enquanto tento me encontrar
queria que você me achasse
Enquanto tento não me interessar mais
ainda queria ter despertado seu interesse
Enquanto tento não perder a esperança na vida
preciso aprender a não esperar nada de ninguém
Enquanto tento não sonhar
sonho um dia não sentir isto mais
Enquanto tento não sentir
espero o dia que alguém vai sentir o mesmo por mim
Enquanto tento me fechar pra tudo isto
busca uma forma de abrir o coração de novo

Enquanto tento mais percebo que é só um enquanto
pois...
todo encanto um dia passa
todo canto um dia se cala
todo pranto um dia cessa
e todo conto tem seu fim.

domingo, 17 de abril de 2011

O amor que quero


O amor que quero chora
não por minha causa, mas comigo.
O amor que quero sorri
não por causa de minhas bobeiras, mas por estar perto de mim.

O amor que quero é livre para ir a hora que quiser
mas não quer estar em nenhum outro lugar enquanto vivermos.
O amor que quero é sincero e transparente
não me deixa inseguro sobre o sente por mim.

O amor que quero é inabalável
é um porto seguro em meio às tempestades da vida.
O amor que quero é estável
não muda conforme a situação financeira ou de saúde.

O amor que quero é um rio perene
suas águas tranquilas nos abastecerão nos períodos de seca.
O amor que quero é um fogo que não consome
suas chamas sempre acesas não deixarão nossos corações esfriarem.

O amor que quero se doa
não para receber algo em troca, mas porque gosta de me fazer o bem.
O amor que quero se entrega
não pensa só nos seus caprichos, entende que também precisa cuidar de mim.

O amor que quero sabe o que quer
não quer ninguém além de mim, nem sente mais nada por alguém do passado.
O amor que quero sonha
não com outra pessoa, mas comigo.

O amor que quero consegue viver sem mim
apesar de sentir a minha falta.
O amor que quero morreria por mim
apesar de eu nunca aceitar que fizesse tal coisa.

O amor que quero é verdadeiro
sua autenticidade se comprova nos olhos.
O amor que quero é sério
não brinca com sentimentos nem faz estes jogos nada interessantes.

O amor que quero supera a barreira do tempo
não vive só de momentos, mas faz deles uma lembrança eterna.
O amor que quero é paciente
não tem pressa pra chegar no fim da nossa história.

O amor que quero não sei se vou encontrar
mas é o que sempre quis oferecer.
O amor que quero é um sonho talvez impossível
mas não consigo fechar os olhos enquanto espero sua chegada.

sábado, 16 de abril de 2011

Risco duplo

Há alguns bons anos atrás (não tantos assim, ainda sou um jovem mancebo...risos...) assisti um filme chamado Risco Duplo. O filme era sobre uma mulher que saiu para velejar com o marido e acordou suja de sangue, sozinha e com uma faca ensaguentada na mão. O corpo do marido não foi encontrado no barco (parecia ter sido jogado no mar) e ela foi condenada por homicídio injustamente. Depois de uns 10 anos na prisão ela descobre sem querer que o seu marido está vivo e fugiu com seu filho e uma ex-amiga, só não sabe onde estão. Segundo o filme a justiça americana aborda um caso interessante, chamado risco duplo; ela estabelece que uma pessoa não pode ser condenada mais de uma vez pelo mesmo crime. Sendo assim, como ela já estava pagando pelo assassinato ela poderia matá-lo sem problema nenhum, pois já tinha sido condenada por isto. Ao conseguir liberdade condicional ela começou uma investigação "secreta" para encontrar o filho e o marido e se vingar.

O resto do filme eu não vou contar em respeito a você, querido(a) leitor(a), afinal não sei se você já o assistiu. Entretanto, se for assistir, fique bem atento(a) no final quando ela vai matar o marido numa igreja Universal mas é liberta do demônio Exu Vingador. Aí ela aceita Jesus, dá o dízimo e uma oferta de fé e ela tem seu casamento restaurado e sua vida é toda restaurada se tornando uma empresária de sucesso no ramo de jóias (...risos... é claro que estou zoando, o final não é este, na verdade ela atirou nele na gruta dos milagres e a bala não perfurou e voltou contra ela...).

Bom, voltemos ao texto, não quero chamar a atenção para o filme em si, mas para esta "brecha" da lei americana chamada risco duplo (não sei se é fictícia). O que ela tem a ver com nossa vida cristã? Muito, eu diria. Jesus foi condenado por todos os nossos pecados cometidos (passados e futuros), tudo já foi pago e nenhuma condenação há para os que estão Nele e glória a Deus por isto! Mas muitas vezes agimos igualmente àquela mulher, usamos de uma "impunidade legal" para cometemos obstinadamente nossos "delitos criminosos" (pecados), por sabemos que eles já foram julgados e condenados, não sendo mais passíveis de condenação eterna para nós.

É muito fácil afrouxarmos nossa vigilância no que se diz respeito a santidade ao vislumbrarmos a graça de Deus. A gente não costuma valorizar o que vem de graça, o que vem fácil. E o sacrifício de Cristo veio fácil demais para nós, veio de mão beijada, a redenção caiu no nosso colo, e muitas vezes abusamos da liberdade que temos Nele para cometermos de novo e de novo algum "crime" nosso que O condenou em nosso lugar. A verdade é que banalizamos o sacrifício de Jesus e O crucificamos novamente quando escolhemos conscientemente pecar por pecar, por acharmos ser uma coisa "natural" do nosso ser, por mais bobo e inofensivo que pareça ser o pecado.

Todos nós somos pecadores, isto é um fato, nossa natureza é pecaminosa e o pecado (força) habita em nós e sempre seremos vítimas dele. Mas esta força pecaminosa não tem mais o mesmo domínio de antes sobre a gente; se temos o Espírito Santo e fomos chamados a ser nova criatura então fomos capacitados a resistir à tendência natural de pecar. Fomos capacitados a viver de uma forma que agrade ao Senhor. Isto porém não significa que não vamos pecar, vamos sim (e muito!), mas o pecado deixa de ser uma regra para ser uma exceção e infelizmente nos esquecemos que deveria ser assim.

O capítulo 6 do livro de Romanos nos alerta quanto a este tipo de coisa, coloca um limite em nossa liberdade apesar da Graça e nos chama a uma vida liberta da escravidão do pecado (força). É um chamado a uma auto-análise e devemos ser francos, sem justificativas falsas que nos escondem covardemente em nossa fragilidade e corruptibilidade humanas; é um pedido escancarado para nos esforçarmos em levar uma vida santa apesar de sempre estarmos sujeitos a repetir os mesmos erros; é um alerta pra não fazermos do erro uma rotina banal que entristece nosso Senhor.

Sigamos imperfeitos, pecadores, porém afastando de nossa vida todo o "risco duplo" que muitas vezes assumimos, afastando tudo que sabemos que não agrada a Deus, profundamente desejosos de agradá-Lo. Lembremos também que santidade é mais que ter um coração puro, uma vida pura, implica também em amar o próximo e se importar com ele, implica em amar a Deus acima de tudo e se entregar a Ele.

sábado, 9 de abril de 2011

Sobre mudanças e plenitude de vida

Você já passou pelo desejo de mudar, mas sua realidade ainda insistia em te dizer que não é possível, que não vai conseguir? Você já desistiu de mudar tudo o que queria (e precisava) e se contentou em mudar apenas o que é mais fácil? Já deixou pra lá uma mudança importante? Se sim, valeu a pena?

Somos limitadíssimos para algumas coisas, muitas vezes castramos nossos sonhos, nos contentamos em viver de forma medíocre, bem diferente do que Deus quer pra nós. Outras vezes empacamos nossa vida numa espera desnecessária, numa passividade que tenta tirar de nós uma responsabilidade que é nossa. Ela só tenta, mas nunca vai conseguir tirar esta responsabilidade.

Existem momentos que a coisa que a gente mais tem que pedir a Deus é que Ele abra nossos olhos pra enxergarmos tudo aquilo que precisa ser mudado em nós e também nos incomodar, nos perturbar mesmo, para que busquemos um processo de mudança profunda. Juntamente com o incômodo precisamos de sabedoria para saber tratar cada detalhe a ser mudado, senão de nada adiantará.

Por vezes me sinto num "mato sem cachorro", olho pra trás e vejo um passado tão vazio, tão mal vivido que penso "porque me permiti viver assim por tanto tempo?". Olho pro presente e vejo uma realidade nada animadora, fruto do que plantei no passado, olho pro futuro e me vejo incapaz de construir tudo que não fiz até então, de recuperar o tempo perdido. A única certeza sobre o meu futuro é que, sem uma intervenção divina, ele será uma repetição do passado.

"Quando eu sou fraco é que sou forte", já dizia o apóstolo Paulo. Palavras como esta devem inundar nosso ser quando a gente precisa vencer nossos "gigantes". Por mais pequenos e incapazes que nós sejamos, por mais abatidos e presos que estejamos, devemos nos lembrar que a força da qual precisamos pode ser suprida por Deus, só precisamos buscar. O Senhor se agrada em nos ajudar em nossas fraquezas, Ele quer nos capacitar a termos uma vida plena Nele, uma vida plena com nossos irmãos e conosco mesmos, a nossa força deve vir Dele.

O Senhor é muitíssimo bom, Sua misericórdia é incrível e Seu amor é imensurável, pena que muitas vezes esquecemos que Ele é o nosso pastor e quer cuidar de nós. Preciso sempre me lembrar de que minha "incapacidade" não quer dizer absolutamente nada quando Ele entra na batalha em meu favor. Não viemos a este mundo por acaso, não fomos escolhidos por sorteio. Não somos obra imperfeita (apesar de imperfeitos), nem vamos permanecer inacabados pra sempre. Deus começou a boa obra e vai terminar, Ele vai terminar porque Ele assim quer e sua vontade é soberana e graciosa. Ele quer nos transformar por completo, precisamos crer nisto de verdade.

Seria um bom estímulo pensarmos em o que faria Jesus se Ele fosse a gente, como será que Ele escolheria viver a nossa vida? Será que temos vivido de uma forma que Ele pode usar todo nosso potencial em favor do Reino? Será que vivemos a plenitude de vida que Ele quer pra nós? Será que não temos limitado o amor Dele em nós? Será que estamos frustrando os sonhos que Ele tinha pra nós tão somente se abríssemos nossos olhos? Será que Cristo vive mesmo em nós? Nós fomos chamados com um propósito: viver em Cristo, mas nossas dificuldades em lidar com a própria existência, o nosso eu, impedem que Ele viva plenamente em nós.

Que o Senhor possa viver em mim e em você de uma forma plena e que o amor Dele seja visto e revelado em nossas vidas.

domingo, 20 de março de 2011

Motivações desfocadas

Você já tirou uma foto totalmente fora de foco? Conseguiu ver direito o que queria? Serviu pra alguma coisa a foto? Acredito que não, não é verdade? Agora imagine que você está fazendo algo "pra Deus" e aquilo que te impulsiona, te motiva a fazê-lo, é aquela fotografia que você tirou. Se o seu foco for como o da sua máquina, qual seria o resultado? Satisfatório?

É possível não estarmos com o foco principal em Deus até mesmo quando parecemos estar, mas geralmente achamos que isto só acontece com os outros. Dizemos que tem pessoas que pregam com eloquência e usam frases de confiança só para arrancar aplausos. Dizemos que tem "adoradores" que O adoram só para se exibirem, mostrar o quanto são talentosos. Dizemos que tem quem faça o bem para causar boa impressão, ser chamado de "bom cristão", etc. Sabemos que muitas pessoas agem assim, mas nós mesmos não sabemos quando agimos assim, ou fingimos não saber. Seja qual for o ministério da pessoa, pregar, cantar, tocar, escrever, servir, nada que ela faça deveria ser para sua própria honra ou benefício.

Nosso coração nos engana demais, não são poucas as vezes que fazemos o certo pelos motivos errados, é algo mais comum do que imaginamos, basta pensarmos um pouco mais sobre nossas motivações em cada detalhe da nossa vida cristã. Talvez não façamos o que algumas pessoas fazem mas fazemos algo parecido, e sem perceber. Por exemplo, muitas vezes nos sacrificamos em obediência a Deus mais desejosos dos frutos que vamos colher dela do que o que ela representa pra Deus. Nossa obediência deveria ser motivada pela alegria que ele vai proporcionar ao coração de Deus e não à alegria que Ele vai nos proporcionar por sermos obedientes a Ele. Nosso "sacrifício de louvor" deve ser para alegria Dele, não a nossa, ainda que Ele nos dê abundantemente de Sua alegria por sermos fiéis, afinal Ele quer nosso bem.

É muito comum também vermos pessoas sendo incentivadas a ofertar na igreja ou a doar ao próximo pelo fato de que Deus as abençoará. A bíblia nos ensina claramente que Deus abençoa quem ajuda o próximo, que Deus retribui a generosidade numa medida maior (isto não quer dizer necessariamente na mesma "moeda"), não questiono a retribuição mas a pergunta que faço é: "Qual a nossa motivação em dar e ofertar?". Seria receber algo em troca? Ajudar porque Deus vai nos recompensar? Ou fazemos isto simplesmente porque Ele se agrada que o façamos? Eu fico triste de ver às vezes alguém incentivar as pessoas a serem generosas usando este argumento de que Deus as abençoará, mas se sabemos que Ele quer que façamos tudo por amor nossa motivação deveria ser o próprio amor. O amor não espera algo em troca, não dá para receber.

O que nos move a fazer algo pra Deus deveria ser nosso amor por Ele, pois foi o amor que Ele tem por nós que O moveu a se fazer homem e subir naquela cruz. O único "interesse" do amor é fazer o que é bom para quem é amado, é servir, é se doar. E o nosso amor por Ele deve fazer-nos querer a glória Dele, pois Ele deseja ser glorificado, só Ele é digno de glória. Não faríamos nada se não fosse pela graça que Ele nos dá.

Por trás de nossas escolhas e ações tem sempre uma ou mais motivações. Cabe a nós identificarmos todas elas e avaliarmos se são agradáveis a Deus ou não. Se uma foto fora de foco não serve pra nada, como que nossas motivações fora do foco correto terão valor pra Deus? Ele sabe o que está por trás de cada coisa que fazemos, podemos nos enganar a nós mesmos, mas a Ele não.

Devemos nos lembrar que tudo que Jesus fez foi para a glória do Pai, foi para agradá-Lo, e não a si mesmo. E para Sua própria glória que Ele nos ama e quer ser amado e servido por nós.

domingo, 13 de março de 2011

Deus e a catástrofe japonesa

Esta semana ficamos todos impressionados com as imagens que vimos do terremoto e do tsunami no Japão. Nunca tivemos tantas imagens de uma catástrofe de tsnunami como vimos agora. Porém, para mim, mais impressionante do que as imagens é a postura de pensamento de alguns religiosos (evangélicos) sobre as razões de tamanha tragédia.

Para alguns tudo isto é castigo do Eterno sobre aquele povo por não reconhecerem Jesus como Senhor e Salvador, terem seus "ídolos", etc. Mas quem tem a capacidade de sondar o coração de Deus para afirmar isto? Ninguém pode!!! E muitos nesta linha de pensamento não se compadecem de um povo, gente como nós, que agora sofre com a perda de muitas vidas preciosas e com a destruição de suas casas, muitas vezes fruto de toda uma vida de trabalho. O amor é um sentimento que só vale entre eles, imagino, afinal todos os povos que não obedecem às escrituras são "odiados" por Deus, infelizmente não é assim que muitos deles pensam? E se for mesmo algum castigo por "ira divina" o Japão pode estar pagando por toda a humanidade, inclusive pela violência em nosso país, será que pensaram nisto os santarrões?

Já para outros, Deus é amor e de maneira nenhuma faria este tipo de coisa, permitir ou ordenar uma tragédia. Pensam que se isto aconteceu Deus não tem nada a ver com a história, só aconteceu porque Ele não sabia e foi pego de surpresa, não deu pra fazer nada e Ele está sofrendo muito por não poder ter evitado. Então concluo que nesta linha absurda de pensamento Deus não tem poder algum sobre os acontecimentos, é tão impotente como nós humanos, não é mesmo? E se a bíblia fala abertamente da soberania de Deus o que vale a bíblia para este povo que pensa isto? Nada? De que valeram os anos estudando as escrituras? Nada? Um famoso e polêmico pastor (Ricardo Gondim) disse no twitter, com outras palavras, que é preciso mudar os pensamentos, mudar a teologia, mudar os conceitos porque o mundo está mudando, evoluindo. Disse também que um "deus" que comanda uma catástrofe e causa sofrimento é um demônio e deve morrer. Pelo que ele deu a entender no twitter (numa conversa com um japonês) ele segue a mesma linha de pensamento destas religiões orientais sobre Deus e que a nossa bondade é o que vai nos salvar, Deus criou o mundo e se retirou, deixou no piloto automático.
Nada contra mudar os pensamentos, é saudável e necessário para nós, mas isto não é desculpa pra jogar literalmente no lixo tudo o que a bíblia afirma sobre o que Deus é e o que Ele fez e faz na sua incompreensível justiça e nos seus insondáveis propósitos. Evoluir não é mudar a Deus, mas mudar a nós mesmos. Se sabemos que Deus é imutável, isto é claramente uma apostasia! As palavras do pastor Gondim me deixam perplexo (mesmo sabendo que no tsunami de 2004 ele também andou falando bobagem) porque a bíblia é clara ao afirmar que Deus está no controle de TUDO, Ele traz a bênção, mas também é Ele que trazia a peste e a fome, Ele que mandava as nações afligir a nação de Israel, mandou inclusive a Babilônia destruir quase por completo a Israel e depois disto Ele também mandou que a Babilônia fosse destruída, bem como diversos povos. Isto está tudo registrado lá no Velho Testamento, e o próprio Jesus deu COMPLETO CRÉDITO ao Velho Testamento, Jesus conhecia as escrituras e as recitava e falava que elas testificavam Dele e que era erro nosso não conhecê-las!!!

Seria Deus um deus mal? De modo algum!!! Ele sabe o que faz, nós é que não entendemos! E Ele não explica o porquê de suas ações e nem tem a obrigação de explicar! O ser humano quanto mais intelectual quer ser mais distante de Deus ele fica, infelizmente a verdade é esta. Troca a fé pela razão, pelo que os olhos conseguem ver, se esquece de que temos alma e a vida aqui na Terra é passageira e Deus é espírito e não olha a nossa morte como nós olhamos. Se esquece que a nossa vida aqui não é o fim, estamos aqui por um breve tempo só.
Eu creio que Deus decretou que ia acontecer este terremoto e muitos outros virão pois o fim se aproxima e Ele já determinou que isto iria acontecer. Eu não sei a razão disto, mas por mais que eu não entenda Seu modo de agir Ele é sim AMOR! E por Ele ser amor sei que Ele se compadece dos japoneses, sei disto porque Ele se compadecia das nações apesar de todo o mal que Ele os fez passar por causa da própria maldade deles. Enfim, ainda que supostamente seja por castigo pelos próprios pecados da nação, Ele certamente ama o Japão.

O nosso papel é apenas orar pelo Japão, não é tentar achar explicações mirabolantes para o que pode ser incompreensível para nós, nem questionar a Deus e colocá-Lo contra a parede, isto é coisa de cristão imaturo! É hora de crer na bondade de Deus e que Ele vai ajudar as pessoas a recontruírem suas vidas.

quarta-feira, 9 de março de 2011

O que fazer?


Quando o coração se encanta

quando o encanto se esvai
quando o vazio é o que resta
O que fazer?

Quando o amor é infinito
quando o infinito um dia acaba
quando se acabam as expectativas
O que fazer?

Quando o presente é uma lembrança
quando a lembrança é uma ferida
quando a ferida não cicatriza
O que fazer?

Quando a solidão é a companhia
quando a companhia é a própria sombra
quando a sombra abandona
O que fazer?

Quando o riso é fingido
quando o fingimento só disfarça
quando o disfarce é descoberto
O que fazer?

Quando as estrelas não brilham
quando o brilho não ilumina
quando a luz já não guia
O que fazer?

Quando a noite termina
quando termina o sonho
quando o sonho não desperta
O que fazer?

Quando o sol não sai
quando a saída é tentar de novo
quando o novo é mais do mesmo
O que fazer?

Quando nos sentimos perdidos
quando perdemos para nossas limitações
quando limitamos nossa força
O que fazer, senão confiar e esperar em Cristo?

terça-feira, 8 de março de 2011

Dia da Mulher, uma homenagem diferente

Esta é uma singela (e çéria) homenagem do blog a você, mulher...
A você, mulher idependente, que não depende de uma máquina para lavar as roupas da família
A você, mulher habilidosa, que pilota bem o seu Auto-cleaning Dako 6 Bocas Turbo
A você, mulher ousada, que faz altas manobras radicais em sua prancha de passar roupas
A você, mulher forte, que levanta o sofá pra varrer debaixo dele
A você, mulher sonhadora, que sonha um dia ganhar de presente uma lava-louças
A você, mulher de fé, que acredita que seu marido ainda vai te ajudar na limpeza
A você, mulher prática, que usa Veja pra tirar a gordura da cozinha
A você, mulher criativa, que inventa maneiras práticas de cuidar da casa
A você, mulher pensadora, que pensa sempre em manter o chão limpo
A você, mulher inteligente, que decora páginas e páginas de livros de receitas
A você, mulher gatinha, que faz manha até pra lavar os copos
A você, mulher administradora, que organiza bem os espaços da casa
A você, mulher valorosa, que cobra do marido um reconhecimento por seu trabalho
Enfim, a todas as mulheres do sexo feminino e possuem cromossomos XX!

Mas, falando sério de verdade desta vez...

Mulheres são a expressão máxima de ternura da criação
Lindas como uma flor
Doces como o mel
Radiantes como o sol
Suaves como uma brisa
Indispensáveis como a água
Definitivamente o mundo não teria a menor graça sem vocês.


Parabéns pelo seu dia e obrigado por existirem! :)


**Apesar da brincadeira, este blog respeita e ama muito vocês, viu? (Sua linda! #pedreirofeelings ...risos...)

domingo, 6 de março de 2011

O cinema e nossas ilusões

Recentemente aconteceu mais uma entrega do prêmio Oscar de cinema, todo mundo ficou curioso pra saber quem seriam os premiados, o melhor filme, os melhores atores e atrizes, etc. Nestes acontecimentos me lembro da influência que o cinema e a TV pode ter sobre nós quando nos deixamos levar pela fantasia.

Às vezes acho que sonho pouco, outras vezes acho que muito, e algumas vezes sonho não alto, mas profundo demais. Tenho coração mole pra algumas coisas e às vezes odeio me deixar levar por sonhos "holywoodianos", por assim dizer. O cinema desperta algumas emoções e alguns sonhos que temos dentro de nós. Quem nunca assistiu um filme e não se emocionou? Quem nunca viu uma história cinematográfica de amor e ficou triste por não ter ninguém, ou por ter perdido alguém, ou por não ter tido uma história assim?

Há uns 6 anos atrás, numa reunião de uma célula da igreja, uma mulher por volta de 45 anos, solteira e mãe de uma filha já moça, disse que não assistia mais filmes com temática romântica porque cansou de sofrer, de sonhar com uma coisa que ela disse que nunca vai acontecer com ela: encontrar alguém, viver um amor verdadeiro. Eu nunca me esqueci disto, não sei porque, mas deve ser porque eu sentia pena de sua sensação de solidão, de não ver um sonho tão importante não realizado, ou por achar que talvez ela fantasiasse demais, queria transformar ficção em realidade. Hoje eu sinto uma pena a mais por ela, a de ela ter desistido de acreditar que ainda tem jeito, mesmo que diferente do esperado, que a vida não acabou. Tenho uma tia que foi se casar só com uns 50 anos e vive muito bem com seu marido. Certas coisas nos abatem mesmo, mas não podem nos tornar céticos quanto a uma mudança, uma reviravolta na vida.

Seria tão bom se a vida fosse uma comédia romântica, daquelas divertidas, com reviravoltas, mas com um final feliz e tudo nos conformes. Eu não fico fantasiando roteiros de histórias de amor, como as situações de conquista e descoberta da mulher da minha vida e tudo mais (já fiz isto), mas a fantasia que mais tive vontade que acontecesse comigo fosse aquele clichê cinematográfico onde o rapaz e a moça, desde a infância ou adolescência, são os melhores amigos e com o tempo a amizade se transforma em amor e ambos descobrem que nada valeria a pena se os dois não ficassem juntos, mesmo eles sendo pressionados pelos amigos a ficarem com todos(as) do colégio, eles só conheceriam um ao outro, mais ninguém. Nunca liguei pra quantidade, se eu pudesse ter escolhido um roteiro pra minha vida sentimental teria sido este, mas nos meus trinta e poucos anos me acho velho demais pra isto (risos), embora a idéia da amizade evoluir pra algo mais profundo ainda seja a que mais me atraiu a vida toda, mas isto poderia levar muitos anos e eu já perdi tanto tempo, minha solidão tem pressa.

Algumas histórias te marcam, você de alguma forma as absorve, e geralmente acontece porque ou você se identifica com algum personagem ou queria viver algo assim, mesmo sabendo que é fictício. Por exemplo, uma das histórias que mais me marcaram foi a de Ross e Rachel da série Friends (minha série predileta). Em muitos aspectos me enxergo na personalidade do Ross, como quando não contava pra Rachel o que sentia por ela desde muitos anos, por julgá-la inatingível, já que ela não o via como homem, apenas o irmão bobo da amiga (#fato). Anos mais tarde se tornou um bom amigo dela e ainda assim achava que nunca teria chance, pois ela só o via como amigo, só foi descoberto porque seu amigo Chandler o entregou sem querer. A sensação de "ela é demais para mim" ou ela nunca vai me notar sempre me atormentaram desde criança também. É até engraçado, o fracasso do personagem Chandler com as mulheres também me fazia identificar um pouco com ele neste aspecto, e a gente faz piada de nós mesmos também, enfim, nos vemos nas semelhanças com cada personagem. Mas ainda preciso superar alguns complexos que nem sempre são reais, apesar de baseados na experiência adquirida ao longo da vida. (Só pra constar, eu não fantasio a história deles pra minha vida, Ok? ...risos... Detestaria a idéia de ver minha "Rachel" com outros e eu a ver navios...risos...)

O cinema também pode ser visto como uma janela que mostra sonhos escondidos em nossa alma e ainda não tínhamos idéia de que estavam lá. Pode nos despertar para algo que não havíamos sequer imaginado e influenciar nossa vida tanto positivamente quanto negativamente, pois o cinema é um formador de opinião também. Ele pode te fazer mal? Sim, mas só se você se deixar influenciar por uma coisa que não deveria, como muita gente faz. Por outro lado pode abrir horizontes, dependendo do assunto, basta nosso filtro estar apurado pra reter o que é bom e descartar o que é ruim.

Não somos mais crianças que ficam atemorizadas por ter visto um filme de terror e ficam com medo de escuro ou de algo que as faça lembrar das cenas do filme, já crescemos. E se não podemos agir mais como crianças tampouco podemos agir como alienados que fantasiam uma vida irreal, uma história absurda e impossível só porque é bonitinha e romântica, sabemos que é ilusão. Nem podemos desejar uma vida fictícia que sabemos ser totalmente fora da vontade de Deus, por mais divertida que ela seja na tela da TV.

Somos todos roteiristas, escrevemos nossa história, mas o roteiro de nossas vidas deve estar entregue nas mãos Daquele que é o supremo criador e diretor do nosso filme chamado "Eu, pessoa". Jesus certamente tem um script melhor que os nossos sonhos, ainda que o melhor Dele seja um filme difícil de entender. Se sonhamos viver uma comédia, talvez no script Dele esteja um drama, e se isto aconteceu certamente é porque tem um propósito melhor que a nossa comédia, pode apostar nisto. Mas é bom lembrar que às vezes vivemos um drama por causa dos nossos próprios erros, porque saímos do script original Dele e nos lascamos. Felizmente Ele sempre tem um roteiro adaptado para estes casos e vai nos ajudar a suportar as consequências desta saída.

No filme que Jesus escreve pra nós não há impossíveis, quero dizer com isto que as nossas fantasias ilusórias não estão no Seu script, mas somente os sonhos saudáveis. O final deste filme já sabemos, e sabe do melhor? É muito bom saber este final antes de assistir todo o filme, pois é a certeza da nossa vitória, a certeza que estaremos ao lado Dele na glória. É isto que nos traz esperança e paz nas cenas dramáticas da vida.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

O bastante


Eu suportaria ouvir-te dizer

Que não sou bom o bastante
Que não sou culto o bastante
Que não sou legal o bastante
Que não sou alto o bastante
Que não sou interessante o bastante
Que não sou bonito o bastante
Que não sou maduro o bastante
Que não sou rico o bastante

Mas morreria por dentro se com razão me disseres
Que não me importei o bastante
Que não te alegrei o bastante
Que não te valorizei o bastante
Que não te respeitei o bastante
Que não te apoiei o bastante
Que não te amei o bastante

Se o bastante é a medida do ideal, qual seria a medida exata do bastante?
Não tenho esta resposta
Mas...
Sei que o bastante nunca é pouco
E que ele nem sempre precisa ser muito
Sei que provavelmente eu nunca serei o bastante
E que sempre precisarei fazer o bastante para ser o melhor que eu puder ser
Sei que a Graça do Pai é o bastante para mim e você
E sobre o que eu ainda não sei, espero ter bastante tempo para descobrir...

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O preço de uma página virada

Tem momentos na vida que queremos tanto esquecer de algumas coisas que acabamos nos esquecendo de Deus. A gente passa o tempo tentando se desconectar de tudo, ou se conectando em diversas outras coisas pra ocupar o tempo e a mente e a consequência é que deixamos um pouco de lado o nosso Deus. Simplesmente passamos a dar mais importância à tarefa de nos livrar do que nos incomoda sem nos preocuparmos com a parte mais importante da nossa vida: a proximidade com Deus.

A gente até consegue superar e virar a página sobre o que nos perturba, mas esta virada de página pode representar não necessariamente uma vitória, mas um empate com sabor de derrota. Quando você cai na real e aceita de verdade que o que queria não é pra você (por mais que suas intenções fossem as melhores e verdadeiras possíveis e apesar de existirem questionamentos sem resposta ainda) e consegue superar a situação, o estágio que você alcança nem sempre te satisfaz. Esta insatisfação pode ser na verdade o resultado de como foram nossos passos, ao mesmo tempo que nos afastaram daquilo que precisava ser esquecido também nos levaram para mais longe de Deus, consciente ou inconscientemente.

Estar longe de Deus não significa necessariamente que você parou de orar, parou de ler a bíblia, parou de ir aos cultos ou até mesmo rompeu com Ele. Estes são apenas sintomas, como os de um câncer que só se evidencia ao estar num estágio mais avançado. Você pode buscar a Deus e estar longe Dele, sua mente pode estar dividida, seu coração também, seus passos podem estar te levando a fazer o que Ele não quer que você faça, seus sonhos podem não ser o que Ele queira, etc. Felizes os que fazem uma avaliação constante e podem constatar a "doença" em seu estágio inicial porque, tal como o câncer, este afastamento destrói tudo de bom que Ele já fez em nós.

Quando alguns sonhos (ou ilusões) que tínhamos pro futuro caem por terra o futuro se torna uma dupla incógnita, já não pensamos apenas em "o que o futuro nos espera" mas também em "o que esperamos do futuro". Quando viramos a página e decidimos seguir adiante nós reavaliamos o que de fato queremos e voltamos a sonhar com as possibilidades e oportunidades que teremos, ou não, para alcançar o que desejamos. Há muito o que avaliar e muito o que fazer pra construir nosso futuro e este futuro estará mais seguro se o confiarmos nas mãos Daquele que é eterno. Porém não podemos nos esquecer que o futuro começa hoje e precisamos confiar o nosso hoje nas mãos Dele, pedindo ou implorando (se necessário for) por uma ajuda na direção de cada passo para assim não trilharmos um caminho fora da vontade Dele.

Os fins não justificam os meios, não importa o quanto precisemos nos focar pra superar algumas coisas na vida, a melhor opção sempre será a de superar isto sem tirar os olhos de Deus, uma virada de página não precisa custar preço nenhum que vá nos fazer lamentar. Deus não se distancia de Seus filhos, nós é que nos afastamos. Nossos passos é que nos levam para longe Dele, nossos pecados principalmente, e cada escolha que fazemos, da mais simples à mais difícil, é o que nos coloca dentro ou fora da Sua vontade, ligados ou desligados da videira (Jesus).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...